terça-feira, 3 de agosto de 2010

Qual é a sua fome?

Muitas coisas tem ficado mais claras pra mim ultimamente, na minha relação com a comida e meu corpo. Outro dia, conversando com uma colega da academia, ela me perguntou se para emagrecer eu estava passando fome. E eu respondi da maneira mais natural possível que eu passava vontades, mas não fome. Parando pra analisar, descobri que às vezes temos "fome emocional", que é muito diferente da fome física. Quantas e quantas vezes me peguei querendo sair para comer algo gostoso porque alguma coisa boa tinha acontecido, ou então, querendo comer alguma coisa porque eu estava triste? Muitas vezes. Na verdade isso é um costume da nossa sociedade, uma vez que todas as comemorações (aniversários, Natal, dia das mães, dia dos pai, etc) são regados a comida e bebida. Por outro lado, quantos de vocês alguma vez estava triste, deprimido e chegou alguém oferecendo um bombom, ou qualquer outra comida para "alegrar o seu dia"?? Comigo já aconteceu váriass vezes. E é daí que nasce a nossa difícil relação com a comida. Passamos a associar a comida como simples ato de nos satisfazer emocionalmente e não paramos para perceber as reais necessidades do nosso corpo.

Hoje, eu como a quantidade suficiente para matar a minha fome, para suprir a necessidade do meu corpo, e como estou em um processo de reeducação alimentar e a minha meta é emagrecer, eu escolho bem a qualidade dos alimentos. Por isso eu disse que eu passo vontade, mas não fome. Para alcançar o meu objetivo eu preciso me privar de coisas que eu considero deliciosas e que são altamente calóricas. Fazer o que? Eu me deixei chegar onde estou hoje, comia tudo o que (achava) que tinha direito, sem regras e sem ligar para a quantidade ou qualidade. Resultado: engordei. Nada mais natural que fazer o caminho inverso para emagrecer. Não me privo de tudo o que eu gosto, pois assim, não teria nem completado esse primeiro mês de R.A, mas hoje em dia é tudo com moderação.

Não considero isso como um castigo, muito pelo contrário, é um favor que estou fazendo a mim mesma. Tem a questão estética, é muito bom se sentir bem, fazer as pazes com o espelho e usar as roupas que gosto e não somente as que me servem. Tem a questão da saúde, importantíssima, pois a cada dia que passa vejo mais e mais casos de pessoas com pouca idade, porém obesas e/ou sedentárias que morrem jovens por problemas que antes eram considerados "doenças de velhos", e confesso que isso me dá muito medo. Quero cuidar da minha saúde, cuidar de mim mesma, como só eu posso fazer.

Estou aprendendo cada dia um pouco mais, a perceber o meu corpo, a minha fome e a ter outras formas de me compensar pelas alegrias e tristezas do dia a dia. Busco no meu marido, amigos e família, o apoio necessário para o meu sucesso. E tenho recebido o carinho e incentivo de todos!!! Muito obrigada.

Beijos.

Artigos Relacionados

2 comentários:

Claudinha disse...

Miiii, isso mesmo! Fome e vontade de comer são coisas muuuito diferentes, e é bom aprender isso assim e poder compartilhar seu sucesso com outras pessoas...
Vai na fé. Final do ano vamos pegar praia heinnn!!!

beijosss

3 de agosto de 2010 18:41
Anônimo disse...

Menina, !!!!!!!!!!!!!!!!! que beleza, eu tenho um simulador que tá faltando umas borrachinhas, agora acabei de ganhar as ponteiras aquelas redondinhas, falta a borracha de fixação de solo para nã escorregar, agora vou procurar com mais gosto , depois do que vi que aconteceu com vc, me anime. Meus parabens e conta mais, gostei. abraço....

ROSELI

2 de julho de 2012 06:28

Postar um comentário

Seu comentário é muito importante, pois me incetiva a seguir em frente!

Obs: Todos os comentários são lidos e moderados previamente.